Eventos

 Exposição 'BRINCANDO COM ARTE'
 
Arte em Moldura (RJ)
13 a 15/set/2015
 
Curadoria: Álvaro Nassaralla
 
 
A exposição 'Brincando com Arte', do artista plástico José Augusto Silveira, na Arte em Moldura (Copacabana), foi realizada com sucesso. 

A vernissage contou com um público de mais de 200 pessoas. 'Brincando com arte' foi uma exposição relâmpago, ficando do dia 13 ao 15 de agosto em cartaz. A curadoria ficou a cargo de Álvaro Nassaralla, produtor cultural do IIAN (Instituto Internacional de Arte Naif). 
 
A mostra reúne pela primeira vez as 38 obras (fotogravuras) que foram criadas para o vídeo intitulado "O Dito e o Visto: Ode à Criação Libertária", onde cada imagem é acompanhada por um texto. Os textos têm cunho poético-filosóficos e foram escritos e narrados pelo próprio artista.
 


 
 
José Augusto Silveira assinando todas as obras antes de emoldurar para a exposição. 





 Making of





__________________________________________________________________________________
 



Conversa com José Augusto Silveira

21 de julho de 2015
Livraria da Travessa - Shopping Leblon - RJ

Coordenação: Álvaro Nassaralla


 



José Augusto Silveira iniciando a palestra
Foto: Ana Paula Soeiro

  
NOTA DO AUTOR SOBRE A PALESTRA:
 
A intenção de minha fala foi a de integrar o que faço em arte com o que penso que sou, interagindo com o público presente.
 
Falo da primeira fase de vida - onde nasci - Tutóia (MA) e do acontecimento que marcou essa etapa: a morte violenta de um pai.
 
Da segunda fase - meu renascimento em meio a arte de vanguarda em um Rio de Janeiro (Copacabana) em seu máximo esplendor.
 
Falo de Elisa, tia e mãe, e sua participação em minha formação como pessoa e de sua influência como artista.
 
Tudo o que aconteceu em minha vida foi importante para o que faço hoje. A cor e o naïf de Elisa e a liberdade criativa de Ivan Serpa e seu Grupo Frente, do qual tive a sorte imensa de vivenciar quando ainda jovem.
 
O psicológico, o filosófico e o engajamento político-social, penso ter emergido em mim como fruto do episódio marcante e traumático do início de minha vida.
 
Juntando todas essas partes, recomponho-me na arte como um ser uno, vibrante e apaixonado pela criação.
 
 
 
 
 
 
 
  
Foto: Ana Paula Soeiro

Foto: Ana Paula Soeiro
 
Álvaro Nassaralla falando sobre a obra de Silveira
Foto: Ana Paula Soeiro

__________________________________________________________________________________

Exposição ODE À CRIAÇÃO LIBERTÁRIA
 
Città América - Barra da Tijuca - RJ
Ago-set-2014
 












Portal AIB (Associação de Imprensa da Barra da Tijuca)



__________________________________________________________________________________


Vídeo "O Dito e o Visto: Ode à Criação Libertária" apresentado, juntamente com uma amostra de 5 fotogravuras, na sede do Partido Verde - Niterói em 24 de março de 2014.


 
Foto: PV-Niterói
 
Quadros expostos no lobby do auditório
 
José Augusto Silveira
Foto: PV-Niterói
 
 
Eurico Toledo
Presidente PV - Niterói
 
  
Daniel  Marques
Secretário de Meio Ambiente de Niterói
 
 
Diego Alemão
 
 

__________________________________________________________________________________


Amostra de fotogravuras expostas no Sarau da Casa da Gávea, em fevereiro de 2014, promovidos pelo ator Paulo Betti e pelo jornalista Paulo Maia.







__________________________________________________________________________________

Lançamento do vídeo "O Dito e o Visto: Ode à Criação Libertária" - Janeiro de 2014
 
 
O vídeo foi lançado no Auditório da Livraria da Travessa (Leblon), no dia 14 de janeiro de 2014,  (Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v= YDHVK2YsXEc). 










O Dito e o Visto: Ode à Criação Libertária é um trabalho experimental de arte multimídia, onde a exposição das gravuras são acompanhadas por textos do mesmo autor, provocando uma mistura de poesia, filosofia, história do mundo, abrangendo inclusive a cosmologia.

A junção das imagens com os textos gravados pela voz do próprio autor pretende ultrapassar a barreira da apreciação visual da obra de arte sem, no entanto, prender o expectador, e sim, de outra forma, permitindo-lhe descortinar interativamente novas possibilidades de compreensão com o discorrer do texto numa viagem histórica da criação do cosmos e da vida.

O visto, construído em formas e cores, é pura percepção do artista em relação a seu próprio ser. O dito, realizado pelas palavras faladas de seus vários vistos, é a possibilidade de
entendimento de seu olhar também para consigo mesmo.

A maioria das gravuras tem uma concepção referenciada na arte naif embora o trabalho gráfico como um todo não esteja preso inteiramente às características desse estilo artístico, desaguando em um naif contemporâneo em que são absorvidas influências da arte pop, surrealista e abstrata.

Naif, pelo seu colorido e simplicidade gráfica; surrealismo, por suas formas baseadas na fantasia, no inconsciente e nos sonhos; e pop, quando aparece o figurativismo realista, configurando os costumes e os aspectos sociais de nosso mundo contemporâneo, como por exemplo, na imagem intitulada “Profecia Escatológica: a Flor de Hiroshima”, onde o cogumelo atômico empilha aos seus pés milhares de cabeças humanas, animais, carros, casas, barcos, tendo como fundo um céu sinistramente roxo-apocalíptico.   

O estilo de José Augusto envolve o preenchimento das cores de uma forma muito particular no sentido de que os espaços são cobertos de hachuras em caneta esferográfica e, depois, com retoques de lápis de cor e canetas hidrocor.               

Suas formas são normalmente sinuosas e orgânicas. Sobre essa aspecto, Silveira diz:

“Nós somos orgânicos, sinuosos e luminosos desde sempre. Nosso cosmos é colorido, é de luz, de curvas organicamente delineadas, e é um cosmos já realizado para nós e, ao mesmo tempo, por nós”.


Conceitos filosóficos da obra

A arte não pode ser reduzida a uma prestação de serviços. Ela deve ir adiante, questionando, provocando, como também, estimulando, cruzando e derrubando a barreira do conhecimento estabelecido. Ela deve promover o choque entre as barreiras existentes em torno do conhecimento racional e do sentir:  até mais que isso, criar uma mixagem entre o pensamento e o sentimento.

O trabalho não tem por objetivo entreter, e, sim, levar à reflexão de temas como a liberdade criativa nas artes, em contraposição a crítica à sociedade de consumo e à capacidade destrutiva do homem e, também, à reflexão da evolução humana e sua interface com a tecnociência.

Na crítica à sociedade de consumo há uma preocupação quanto a ausência do pensamento enquanto bem humano desenvolvido evolutivamente, e agora, substituído em grande parte pela pura ação instrumental (Escola de Frankfurt –
Marcuse).

Por outro lado, os textos são influenciados também pelo pensamento de outros filósofos modernos tais como Heidegger, Nietzche e Foucault.
 

__________________________________________________________________________________
 
Fotogravuras expostas para venda na loja DATA PIXCELL, Shopping Leblon (2014).

 
 
 

Animalidade Humana, 2013


Modernidade em Branco e Preto, 2013


Miniaturas, 2013
 

0 comentários:

Postar um comentário

 

TRABALHO MAIS RECENTE

TRABALHO MAIS RECENTE

Pintando

EVENTO MAIS RECENTE

TEXTO MAIS RECENTE

O ESPAÇO DA ARTE

Arte não se compra, se aprecia.
Arte não se olha, se apropria.
O tempo da arte é Um, é lento.
O tempo da compra é outro, é veloz.
O templo do consumo é o shopping.
O espaço da arte é o sentimento.

José Augusto Silveira

Fale Com o Artista

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens populares